Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Leituras Cool

Este é o teu clube de leitura!

Clube de Leituras Cool

Este é o teu clube de leitura!

Não Há Planeta B

Sugestão de leitura da Bárbara Alfonzo Rodriguez, da Escola Secundária de Ponte Sor

Na obra Não há Planeta B, a autora apresenta-nos uma série de dicas, truques, conselhos que nos ajudam a refletir sobre os nossos hábitos diários e a tomar medidas concretas, no sentido de tornar o Planeta Terra mais sustentável. Sem dúvida, uma tomada de consciência fundamental nos dias de hoje.

A aluna Bárbara Alfonzo Rodriguez da turma do 8º E da Escola Secundária de Ponte de Sor (Agrupamento de Escolas de Ponte de Sor) leu e analisou a obra de Carmen Lima, no âmbito do Projeto “Leituras com ciência”, desenvolvido no Agrupamento.

127x179.jpeg

De seguida, ouçam a sua reflexão sobre esta sugestiva obra.

Almoço de Domingo

Sugestão de leitura da professora Rosário Narciso, do Agrupamento de Escolas José Régio, Portalegre

"Almoço de Domingo", de José Luís Peixoto, mais romance biográfico do que biografia romanceada, apresenta uma narrativa que, de forma muito bem engendrada pelo autor, decorre no futuro, nos três dias que antecedem o nonagésimo aniversário de Manuel Rui Azinhais Nabeiro, o Senhor Rui, como é tratado pelos seus, pelos que conhecem o comendador campomaiorense, e conta uma história que rememora os quase 90 anos de vida de um homem e de uma vila alentejana que ele quis colocar no centro do mundo, recorrendo a analepses e prolepses que se misturam em forma de recordações e ações presentes, que afinal, só acontecerão nos dias 26, 27 e 28 de março de 2021.

Este livro tem muita cal, nas paredes e no coração do escritor e do retratado, corações que tentam ser brancos e que amam a lonjura alentejana, que só quem a vive sabe como é.

É um romance sobre o Senhor Rui, mas também sobre os seus pais e irmãos e sobre os seus filhos, noras, netos e bisnetos, sobre a construção de uma casa cheia de gente viva ou já ida e dos afetos que trocam, porque não há presente que não assente no passado, nem futuro que não seja a consubstanciação dos sonhos de antes.

Esta é a narrativa de um homem que levou a vida a resistir, a sobreviver, a desafiar o que a outros parecia impossível, um homem com sonhos de muito querer que tudo fez para os concretizar.

Manuel Rui Azinhais Nabeiro cumpriu uma vida digna de ser contada e José Luís Peixoto cumpriu a sua missão romanceando-a, foi uma superlativa junção de dois alentejanos, homens de sensibilidade e visão.

502x-11.jpeg

Recomendo a sua leitura a todos os que apreciam este Alentejo branco, de gente forte, capaz de resistir e levar os sonhos para diante.

Escutem as palavras da professora Rosário Narciso, do AE José Régio, Portalegre

Dentro do Segredo

Sugestão de leitura da Profª Mª Jesus Silva, Agrupamento de Escolas de Estremoz

A Coreia Norte é um dos países mais misteriosos do mundo. Nesta obra, José Luís Peixoto partilha com os seus leitores detalhes da viagem que fez em 2012.

Um livro para amantes de viagens,  onde o escritor nos relata a passagem pelos locais simbólicos do país e do regime, salientando algumas cidades  que não recebiam visitantes estrangeiros há muitos anos. 

IMG-20210119-WA0011.jpg

Escutem a sugestão da professora Maria de Jesus Silva, do Agrupamento de Escolas de Estremoz:

O Código d'Avintes

Sugestão de leitura da professora Maria de Jesus Silva, do Agrupamento de Escolas de Estremoz

O Clube de Leituras Cool continua a receber sugestões dos nossos leitores. Neste caso, em tempos de confinamento, a professora Maria de Jesus Silva enviou-nos a sua sugestão.

Um livro escrito a sete mãos, pelos autores de "Os Novos Mistérios de Sintra", onde cada capítulo concluído deixa o mote para o escritor seguinte continuar a história .

IMG-20210119-WA0012.jpg

Escutem a sugestão da professora Maria de Jesus Silva.

As Leituras mais Cool

É com imenso prazer que a equipa do Clube de Leituras Cool, divulga as leituras mais cool do 1º período do ano letivo 2020-2021.

Foram selecionadas as propostas de leitura com mais interações nas redes sociais, comentários e audições /visualizações dos podcasts/vídeos.

Captura de ecrã 2021-01-07, às 17.02.42.png

Os vencedores, por ciclo, são:

 

1º Ciclo

1º - Tomás Niza, AE Ponte de Sor

2º - Hugo Póvoa, AE Fronteira

3º - Filipe Daniel, AE Fronteira

 

2º Ciclo

1º - Tomás Romão, AE José Régio

2º - Inês Amaral,  AE Fronteira

3º - Filipa Cordeiro,  AE José Régio

 

3º Ciclo

1º - Sulamita Gromicho, AE Sardoal

2º - Afonso Reis,  AE Sardoal

3º - José Duarte,  AE Sardoal

 

Ensino Secundário

1º - Gilberto Rocha, AE Alter do Chão


Neste 1º período, os 10 livros selecionados (1º, 2º, 3º ciclos e ensino secundário) obtiveram:
     - 102 comentários;
     - 497 partilhas nas redes sociais;
     - 511 audições/visualizações.

Um grande sucesso dos nosso Leitores Cool!!


Aqui ficam os livros e os leitores mais cool do 1º período do ano letivo 2020-2021.

 

Parabéns a todos os envolvidos: alunos, professores, famílias e, claro, professores bibliotecários. 


 

 

As Minas de Salomão

Sugestão de leitura do prof. Gilberto Rocha, do AE de Alter do Chão

O romance “As Minas de Salomão” é uma viagem fantástica de aventuras. Publicado no Reino Unido em 1885, tem como autor o escritor vitoriano Henry R. Haggard.

Esta improvável narrativa de Haggard não demorou muito a tornar-se num sucesso de vendas, chegando a ser traduzida da língua inglesa para o português, pela mão de Eça de Queirós, em 1891.

O autor realista apaixonou-se pelo feitiço da história de Henry, acabando, esta mesma, por conhecer inúmeras edições na nossa língua, muito por graça da tal ação inicial do nosso novelista.

ms.jpeg

O texto embrulha-nos numa jornada febril e excessiva, passada no coração de África, local, então, pouco conhecido e para o qual Alão Quartelmar e outros exploradores decidem rumar, num expedição absolutamente inédita. Alão e os seus acompanhantes levavam como objetivo encontrar a maior das riquezas, materializada num tesouro incalculável, supostamente oculto nas míticas entranhas de umas minas com o mesmo nome do romance. Mal sabiam os ingénuos exploradores, e especialmente Alão Quartelmar, que o tesouro que procuravam seria muito pequeno, quando comparado, em aproximação, com o preço a pagar pela própria aventura, algo que marcaria profundamente, de forma terrível, admirável e avassaladora, a existência daqueles homens.

Na altura em que a obra é publicada, - finais do século XIX -, uma grande parte de África era, de facto, e ainda, uma enorme incógnita, terra difícil, por isso inexplorada e quase ausente de entre os saberes humanos. Ao mesmo tempo, a literatura encontrava nestas paragens e nas aventuras passadas nestes palcos, algo de fortemente original.

 

Oiçam o que motivou a escolha deste livro, pela voz do professor Giberto Rocha: