Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Leituras Cool

Este é o teu clube de leitura!

Clube de Leituras Cool

Este é o teu clube de leitura!

Intocável

Sugestão de leitura de Diana Serrano, do AE Constância

A Diana Serrano, aluna do Agrupamento de Escolas de Constância, desafia os leitores do Clube de Leituras "Ser Leitor é Cool" a apostarem na leitura do livro "Intocável" de Tahereh Mafi.

502x (1).jpeg

O cenário? A população de um mundo em colapso está esfomeada e doente.

A personagem principal? Juliette, uma adolescente que se encontra presa numa instituição por ter matado um colega de escola devido a um poder que descobriu da pior forma possível - o seu toque pode matar. 

O enredo? Pobres versus poderosos. Conflitos. História de amor.

A opinião de Diana? “Adorei este livro”. “Super cativante”. “Muito fácil de ler”.

 

Quer saber mais?

Oiça a sugestão de Diana Serrano, aluna do 11º B, do Agrupamento de Escolas de Constância.

Selma

Sugestão de leitura da Profª. Isabel Golaio, do AE de Campo Maior

Um livro pequeno mas com uma mensagem importante e ilustrações de Jutta Bauer. "Selma"  relata a vida normal de uma ovelha. Ela comia erva, brincava com as crianças, praticava desporto, conversava com a vizinha.

502x.jpeg

Todas estas atividades eram feitas com prazer, pois ela via a beleza nas coisas simples da vida. 

Ouça a sugestão de leitura na voz da professora Isabel Golaio, do Agrupamento de Escolas de Campo Maior.

O Diário de Anne Frank

Sugestão de leitura de Pedro Martins, do AE de Estremoz

O Diário de Anne Frank foi escrito entre 1942 e 1944, em plena segunda guerra mundial.
 

502x-2.jpeg

Conta-nos a história de uma jovem forçada a esconder-se, juntamente com a sua família, num anexo da fábrica onde trabalhava o seu pai, durante a ocupação nazi de Amesterdão. 

 
Ouça a sugestão de leitura, na voz de Pedro Martins, aluno do 6ºano do Agrupamento de Escolas de Estremoz.
 
  

O elefante cor-de-rosa

Sugestão de leitura de Bárbara Moura, do Centro Educativo Alice Nabeiro

Este livro de Luísa Dacosta conta-nos a história de um pequeno elefante cor-de-rosa que vivia num mundo de paz e alegria, juntamente com outros elefantes cor-de-rosa.

21750898_VY8vV.jpeg

Não nos podemos esquecer que o rosa é a cor dos sonhos dos meninos pequeninos. Subitamente, este mundo desaparece e o elefante é obrigado a partir e vai viver para a imaginação de uma criança.

 É uma história de sonho e fantasia, que nos ensina a importância  da amizade, da solidariedade e da entreajuda.

Ouça a sugestão de leitura, na voz da Bárbara Moura, Centro Educativo Alice Nabeiro.

 

 

Não se pode morar nos olhos de um gato

Sugestão de leitura da Profª. Rosário Narciso, do AE José Régio de Portalegre

“Não se pode morar nos olhos de um gato”, da escritora Ana Margarida de Carvalho, é uma espécie de parábola reveladora da capacidade de adaptação e de resiliência que o ser humano alberga em si.

O naufrágio de um navio negreiro junta numa pequena praia oito improváveis companheiros e uma santa. Apesar de todas as suas diferenças, veem-se forçados a unir esforços para conseguir sobreviver.

Para trás, todos deixaram uma existência de sofrimento, marcas terríveis da vida, que os atormentam nos momentos de maior solidão. Ainda assim, todos são sobreviventes e capazes de sonhar com novos recomeços.

 

21750865_TWsqv.jpeg

Um livro muito bem pensado e organizado, de uma escrita sem mácula, que nos faz refletir sobre a verdadeira essência da nossa passagem pela vida.

Afinal, que importa a capa que nos cobre se é o que está por baixo que interessa? De que serve o culto do individual, se uns sem os outros nada somos? Que sei eu do outro? Que sei eu de mim? Camadas e camadas sobrepostas em seres que continuam frágeis e sonhando com afeto.

Recomendo vivamente a leitura deste livro magnificamente redigido por Ana Margarida de Carvalho. Boas leituras!

 

Ouça a sugestão de leitura, pela voz da professora Rosário Narciso, do Agrupamento de Escolas José Régio, de Portalegre.

Branco e Vermelho

Sugestão de leitura de Bernardo Correia

Máscara do Olho Verde-1.jpg

Atualmente, pintamos o mundo de preto e branco, mas é no âmago das nossas aguarelas onde se impregna o vermelho, cor pulsante e vibrante que nos bombeia o sentido de ser. Afinal, é nestes tempos difíceis onde a infusão do medo se entrelinha nas linhas do pincel, corrompendo-o e acabando por corromper a nossa essência.

Contudo, a hemorragia simbólica que nos escorre é o resultado da nossa perceção visual, e não da palete inerente à nossa alma. Nesse sentido, decidi aumentar a lente do meu telescópio e contemplar a constelação poética de Camilo Pessanha, a fim de comprovar esta tese.

De facto, o nosso ser não é “preto e branco”, mas sim “branco e vermelho”, tal aponta o título da última estrela da constelação de Camilo. “Les Trois”, sexta estrela da constelação musical do álbum "Evidentualmente" do jazz trio NoA, culmina, juntamente com o poema “Branco e Vermelho”, num crescendo palpitante até a uma lancinante apoteose, enaltecendo tudo e todos aqueles que se encontrem à sua volta.

Vivenciar, beneficiar e, acima de tudo, sentir a aura rejubilante emanada por essa apoteose é, portanto, a única cor que nos falta na palete inerente à nossa alma. Não ficaram convencidos? Leiam o poema “Branco e Vermelho”, de Camilo Pessanha, e logo percebem!

 

Bernardo Correia declama o poema “Branco e Vermelho”  ao som de “Les Trois”, do trio NoA.

Branco e Vermelho

A dor, forte e imprevista,
Ferindo-me, imprevista,
De branca e de imprevista
Foi um deslumbramento,
Que me endoidou a vista,
Fez-me perder a vista,
Fez-me fugir a vista,
Num doce esvaimento.
Como um deserto imenso,
Branco deserto imenso,
Resplandecente e imenso,
Fez-se em redor de mim.

Todo o meu ser, suspenso,
Não sinto já, não penso,
Pairo na luz, suspenso...
Que delícia sem fim!
Na inundação da luz
Banhando os céus a flux,
No êxtase da luz,
Vejo passar, desfila
(Seus pobres corpos nus
Que a distancia reduz,
Amesquinha e reduz
No fundo da pupila)
Na areia imensa e plana
Ao longe a caravana
Sem fim, a caravana
Na linha do horizonte
Da enorme dor humana,
Da insigne dor humana...
A inútil dor humana!
Marcha, curvada a fronte.
Até o chão, curvados,
Exaustos e curvados,
Vão um a um, curvados,
Escravos condenados,
No poente recortados,
Em negro recortados,
Magros, mesquinhos, vis.
A cada golpe tremem
Os que de medo tremem,
E as pálpebras me tremem
Quando o açoite vibra.
Estala! e apenas gemem,
Palidamente gemem,

A cada golpe gemem,
Que os desequilibra.
Sob o açoite caem,
A cada golpe caem,
Erguem-se logo. Caem,
Soergue-os o terror...
Até que enfim desmaiem,
Por uma vez desmaiem!
Ei-los que enfim se esvaem,
Vencida, enfim, a dor...
E ali fiquem serenos,
De costas e serenos.
Beije-os a luz, serenos,
Nas amplas frontes calmas.
Ó céus claros e amenos,
Doces jardins amenos,
Onde se sofre menos,
Onde dormem as almas!
A dor, deserto imenso,
Branco deserto imenso,
Resplandecente e imenso,
Foi um deslumbramento.
Todo o meu ser suspenso,
Não sinto já, não penso,
Pairo na luz, suspenso
Num doce esvaimento.
Ó morte, vem depressa,
Acorda, vem depressa,
Acode-me depressa,
Vem-me enxugar o suor,
Que o estertor começa.
É cumprir a promessa.
Já o sonho começa...
Tudo vermelho em flor...

Camilo Pessanha, in 'Clepsidra'

As velas ardem até ao fim

Sugestão de leitura pela professora bibliotecária do AE de Campo Maior

As velas ardem até ao fim, de Sándor Márai é um livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o Ensino Secundário. 

21746089_dCf9E.jpeg

 

Estamos em 1942, época em que a Europa estava mergulhada na Segunda Grande Guerra, sendo o reino da Hungria um dos apoiantes da estratégia nazi. Num pequeno castelo de caça na Hungria, outrora marcado pelos magnificos serões, sob a música de Chopin, tudo mudou.

É este o cenário para o reencontro, após quarenta anos de afastamento, entre dois homens, amigos inseparáveis quando jovens. Ambos viveram à espera deste momento, pois existe um segredo forte que os une.

 

Ouça a sugestão de leitura, pela voz da professora bibliotecária do AE de Campo Maior.

Um Homem com Sorte

Sugestão de leitura de Guilherme Antunes, do AE de Avis

Trata-se de uma história de amor que conta o regresso a casa, de um soldado após a sua missão no Iraque.  Logan Thibault traz consigo a foto de uma mulher, que encontrou no deserto, e passa a ser o seu amuleto da sorte. Após o regresso a casa, este propõe-se encontrá-la.

Uma boa história de amor, ao estilo do autor Nicholas Sparks. 

21742488_fUIB0.jpeg

Ouça a sugestão de leitura, na voz de Guilherme Antunes do Agrupamento de Escolas de Avis.

 

O Tatuador de Auschwitz

Sugestão de leitura de Mariana Pereira, do AE de Avis

Existem épocas negras na história e a 2.ª Guerra Mundial foi uma delas. Todos os factos aqui descritos são reais. Não podemos esquecer do que aconteceu, para que os mesmos factos não se voltem a repetir.

"O Tatuador de Auschwitz" conta-nos uma história de amor, que aconteceu num campo de concentração, palco de todos os horrores que, infelizmente, conhecemos.

otatua.jpg

 

Ouça a proposta de leitura na voz da Mariana Pereira, do Agrupamento de Escolas de Avis.

A Distância Entre Nós

Sugestão de Leitura da Mariana Guilhermino, do AE de Avis

A Distância Entre Nós, da autoria de Rachel Lippincott, Mikki Daughtry e Tobias Iaconis, é uma história de amor entre dois jovens. Os dois conhecem-se no hospital, onde são acompanhados por causa da doença, e apaixonam-se.

Uma história emocionante e atual que nos lembra a importância da distância social, em prol da nossa saúde.  

adistancia.jpg

 

Ouça a proposta de leitura pela voz da Mariana Guilhermino, do Agrupamento de Escolas de Avis.